Posts

Própolis estudo Covid-19 USP

PRÓPOLIS PODE REDUZIR TEMPO DE INTERNAÇÃO POR COVID-19, APONTA ESTUDO

Uma pesquisa publicada na MedRxiv identificou que o uso de própolis pode ter eficácia na diminuição do tempo de internação de pacientes com Covid-19. O estudo foi realizado em pacientes do Hospital São Rafael, de Salvador (BA), contando como o envolvimento de pesquisadores membros da instituição hospitalar e também do Instituto D’Or de Pesquisa e Educação (IDOR), da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP – USP) e da empresa Apis Flora.

O ensaio clínico introduziu a ingestão de própolis em pacientes internados com coronavírus. Dos 124 pacientes estudados, todos passaram pelo tratamento padrão, mas 40 deles receberam 400 mg/dia de própolis, outros 42 receberam 800 mg/dia e outros 42 não receberam nenhuma dose de própolis.

Própolis X Covid-19

A pesquisa apontou que própolis pode interferir, de forma positiva, em uma proteína da superfície celular (TMPRSS2), que está envolvida no processo de invasão do coronavírus no corpo. Outro ponto importante é que as propriedades da própolis podem ajudar a reduzir os processos inflamatórios por inibição da PAK1, que está associada a uma maior necessidade de cuidados intensivos e com altas taxas de mortalidade.

Segundo o estudo, quem não ingeriu própolis ficou cerca de 12 dias internado após o início do tratamento. Os outros dois grupos que receberam 400 mg e 800 mg ficaram, respectivamente, 7 e 6 dias internados.

Os resultados do estudo necessitam de revisão e não podem ser usados para orientar o uso clínico de própolis no tratamento da Covid-19.

A publicação, em formato de preprint (pré-publicação) na MedRxiv serve apenas como indicativo de uma tese e como uma esperança de novas formas de tratamento para o coronavírus.

Saiba mais sobre própolis

Própolis é uma substância naturalmente produzida pelas abelhas a partir da seiva das árvores combinada com a cera e a saliva das abelhas. Isso resulta em um produto marrom que serve como revestimento e proteção das colmeias.

Atualmente, já foram identificados mais de 300 compostos no produto. A maioria na forma de polifenóis que atuam como antioxidantes, lutando contra doenças e danos no corpo humano. Além disso, já existem outros estudos que indicam a ação anti-inflamatória bem como protetiva da própolis.